Retinopatia diabética

O diabetes é uma doença complexa e progressiva e afeta a retina de diversas formas: com estreitamento e bloqueio de vasos sanguíneos, enfraquecimento da parede vascular, causando vazamentos, hemorragias ou pequenas deformidades (os microaneurismas). A retinopatia pode levar a uma perda parcial ou total e irreversível da visão.

Os diabéticos apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que não portadores da doença. E a retinopatia atinge mais de 75% das pessoas que vivem com diabetes há mais de 20 anos.

A incompetência dos vasos pode causar um vazamento líquido localizado na mácula, afetando a visão central. O agravamento da retinopatia leva à proliferação de novos vasos anormais (“neovasos”), agravando as hemorragias, formação de membranas ou traves vítreas e, até mesmo, descolamento de retina.

Prevenção e tratamento

O controle cuidadoso do diabetes é realizado com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação desses tratamentos, seguindo as orientações do seu endocrinologista.

Como tentativa de prevenir a evolução da retinopatia, é utilizado o procedimento de fotocoagulação a laser, cauterizando as pequenas áreas da retina doente. Alguns casos têm indicação de tratamento com aplicações periódicas de drogas antiangiogênicas (AVGF) diretamente no olho.

O ideal é que o tratamento seja iniciado o mais cedo possível para que se obtenham os melhores resultados. Por isso, é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista para o diagnóstico precoce e uso dos recursos terapêuticos da forma mais eficaz.