Exames

Exame realizado sob dilatação de pupila, avalia o grau real do paciente (criança e/ou adulto).

Orientações: A visão poderá ficar turva por até 6 horas após o exame. O paciente não poderá dirigir e, preferencialmente, deve providenciar um acompanhante.

É o registro fotográfico de alta resolução do fundo do olho. A retinografia é indolor, não invasiva e de não contato. Sua realização é indicada para o acompanhamento de doenças vítreorretinianas, glaucoma e alterações do nervo óptico.

Orientações: exame requer a presença de um acompanhante, pois pode ser necessário dilatar a pupila.

Avalia a superfície corneana e o comportamento das lágrimas com o uso de contraste tópico para o acompanhamento da doença de olho seco e infecções corneanas.

Orientações: Exame realizado sem lentes de contato, não precisa acompanhante.

Material: Corante Vital Lissamina Verde

Avalia a produção da lágrima, que molha duas fitas de celulose milimetradas, aplicadas sob as pálpebras inferiores.  O teste dura 5 minutos e é importante ferramenta na avaliação da doença do olho seco e no pré-operatório de cirurgias do segmento anterior (pterígio, catarata, refrativa e transplante de córnea).

Material: Fitas de celulose para Schirmer (Ophthalmos, Brasil)

O exame avalia a estabilidade e o nível de pressão intraocular com uma série de tonometrias realizadas sob stress hídrico (ingestão de certa quantidade de água). Utilizado para detecção e acompanhamento de glaucoma.

Orientações: o exame requer a utilização de colírio anestésico e corante de fluoresceína.

Avalia o desempenho e sincronia da musculatura extraocular em diversos tipos de estrabismo. Realizado por ortoptista, que analisa a necessidade de se fazer uma série de exercícios corretivos.

Orientações: O teste não requer a presença de acompanhante.

Avalia as camadas das estruturas oculares por meio de um feixe coerente de luz. Não invasivo, o procedimento traz novas perspectivas no diagnóstico, acompanhamento e tratamento precoce de glaucoma, de alterações degenerativas e vasculares em tratamento, alterações de retina e córnea (avaliação antes e após transplantes).

OCT de retina: avalia alterações nas camadas retinianas na área macular. Útil no diagnóstico precoce e acompanhamento de edema macular, degeneração macular relacionada à idade (DMRI), membranas neovasculares e retinopatia diabética em tratamento.

OCT para glaucoma: avalia a papila, a camada de fibras nervosas e de células ganglionares, afetadas no glaucoma.

OCT de segmento anterior: permite a avaliação das camadas da córnea e segmento anterior. É indicada em casos de cirurgia refrativa, opacidades, cicatrizes e afinamentos da córnea. É essencial no planejamento cirúrgico de implante de anel e transplantes lamelares.

Orientações ao paciente: suspender o uso de lentes de contato no dia do exame. Pode ser necessário o uso de colírio para dilatar as pupilas.

O exame, que faz parte da consulta de rotina, mede a pressão intraocular e pode ser realizado de forma automatizada ou manual.

Indolor e não invasiva, a tonometria é importante na avaliação e acompanhamento de hipertensão ocular e glaucoma.

Orientações: suspender o uso de lentes de contato no dia do exame.

Avalia a curvatura e irregularidade da superfície da córnea. Indolor, não invasivo e de não contato, o exame é usado no diagnóstico e acompanhamento de doenças da córnea, no pré-operatório de cirurgias refrativas transplantes e catarata, astigmatismos, miopias progressivas, pterígio e adaptação e uso de lentes de contato.

Orientações: suspender o uso de lentes de contato 2 ou mais dias antes do exame.

Este exame analisa as estruturas oculares e orbitárias. Indolor, ele é utilizado em diversas patologias oculares e orbitárias, traumas, inflamações e infecções intraoculares, hemorragias, entre outros.